Ad Home

Justiça nega liberdade a homem preso após tatuar testa de adolescente


Foi negado o pedido de liberdade do pedreiro Ronildo Moreira de Araújo,preso após tatuar a frase "eu sou ladrão e vacilão" na testa de um adolescente. A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, rejeitou o pedido da defesa de Ronildo nesta segunda-feira (10). O episódio ocorreu em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, no dia 9 de junho.

Além do pedreiro, também agiu nessa situação o vizinho e tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis. Os dois alegaram que o jovem tentou furtar uma bicicleta. Como punição, resolveram tatuar a frase na testa do adolescente, filmar o ato e disponibilizar nas redes sociais as imagens do garoto. Os dois foram denunciados por constrangimento ilegal, lesão corporal e ameaça.

Ao STJ, a defesa argumentou que não havia elementos concretos que justificassem a manutenção da prisão. Por isso, pediu aplicação de medidas cautelares, como a prisão domiciliar. O relator do caso é o ministro Reynaldo Soares da Fonseca, mas o caso foi analisado pela ministra Laurita Vaz, que está de plantão no STJ durante o recesso do Judiciário. A ministra negou autorização provisória e rejeitou o pedido de liberdade por duas vezes, indicando a gravidade dos fatos e a incapacidade de resistência do adolescente.
Metr
Tecnologia do Blogger.