Ad Home

Liberada nova pista da Baixa do Fiscal em primeira etapa da duplicação

A primeira etapa das obras de requalificação da Rua Luiz Maria, na Baixa do Fiscal, foi entregue no final da tarde deste terça-feira (23). A via, responsável por receber grande parte do fluxo de veículos que seguem do bairro da Calçada em direção à Avenida Afrânio Peixoto (Suburbana), teve a pista nova, feita em concreto com piso tátil, liberada como mão e contramão. A pista que já existia foi fechada para o tráfego para as obras de requalificação asfáltica. A obra estará totalmente pronta até o final de março, e a duplicação será inaugurada nas comemorações pelo aniversário de Salvador.
Quando as obras estiveram concluídas, uma das pistas seguirá sentido Suburbana e a outra em direção à Calçada. De acordo com o titular da Superintendência de Conservação e Obras Públicas (Sucop), Almir Melo, as intervenções custarão no total cerca de R$ 11,9 milhões, sendo que R$ 6,3 milhões referentes à duplicação da pista e R$ 5,6 milhões aos trabalhos de macrodrenagem, fundamentais para evitar os alagamentos que frequentemente atingiam a via.
“Nesse primeiro momento, estamos concluindo a fase um da obra. A partir daí, iniciamos a fase dois, no sentido oposto. Por enquanto, a pista liberada servirá para os dois sentidos, mas isso mudará ao fim da obra. Com a duplicação, teremos um binário nos dois sentidos”, reforçou Almir Melo. Ele frisou que a Transalvador sinalizou as alterações no trânsito na área e está com agentes no local para orientar os motoristas sobre as mudanças temporárias.
Mudanças - Com 560 metros de extensão, a Rua Luiz Maria passa a contar com duas pistas de sete metros de largura, uma nova baia para ônibus, iluminação central, paisagismo e arborização. Além disso, será construída uma ciclovia com pouco mais de 2,4 metros de largura, tendo um corredor de árvores dividindo os dois sentidos.
Os passeios são de concreto com piso tátil, com dois metros de largura. A Sucop está trabalhando ainda na construção de um canal de 530 metros, sendo 230 cobertos, e na pavimentação completa da via. Segundo Almir Melo, os efeitos do trabalho de macrodrenagem já puderam ser percebidos nas chuvas da última sexta-feira (19). “Mesmo com toda a chuva que caiu na cidade, o sistema já demonstrou eficácia. Não houve sinais dos antigos alagamentos na via”. Ele ressaltou que foi feito um “imenso serviço de terraplanagem para substituir o solo em função do grande volume de lama que havia por debaixo”.
Tecnologia do Blogger.