Ad Home

Câmara ainda não definiu se Louos terá relator

Ainda não está definido se a proposta de Lei de Ordenamento do Uso e da Ocupação do Solo (Louos) terá um relator próprio na Câmara ou se o vereador Leo Prates (DEM) ficará incumbido também da relatoria.
Em entrevista à Tribuna, o presidente do Legislativo Municipal, vereador Paulo Câmara (PSDB), disse que aguardará a prefeitura encaminhar a Louos à Casa para decidir.
“Meu sentimento prioritário é discutir o PDDU [Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano]. Não posso falar de algo que nem chegou à Câmara ainda. Fala-se em final de março ou primeira semana de abril. A gente quer focar no PDDU. Assim que a Louos chegar vamos sentar, se debruçar e fazer um calendário de audiências públicas para discutir. Mas a prioridade neste momento é o PDDU”, afirmou, ressaltando que as duas legislações devem ter “a mesma clareza e distinção”.
Nos bastidores da Câmara, no entanto, especula-se que a Louos não deve ter relator próprio. E o vereador Leo Prates deve ficar responsável também pela elaboração do relatório final da legislação.
Anteontem (24) os vereadores Arnando Lessa (PT) e Prates foram oficializados, respectivamente, como presidente do PDDU e relator da proposta. O ato, que foi publicado no Diário Oficial, também aponta as comissões que acompanharão o projeto. São elas: Constituição e Justiça; Finanças e Orçamento e Planejamento Urbano e Meio Ambiente. 
Prevista para chegar ao Legislativo Municipal em dezembro do ano passado, a entrega da Louos foi adiada para o final de março deste ano. “Quem sabe no dia 29 e aí dou um presente para cidade”, disse o secretário municipal de Urbanismo, Sílvio Pinheiro.
Em janeiro, o gestor da pasta justificou a demora para mandar o projeto para Casa. “A Louos tem se revelado muito mais difícil do que o plano diretor e envolve uma série de cruzamento de informações. Estamos trabalhando diariamente, seis, oito horas para enviar o mais rápido possível”, argumentou.
A líder da bancada de oposição na Câmara, vereadora Aladilce Souza (PCdoB), disse que não vê problema na demora. “Não temos condições nenhuma de discutir e votar a Louos, antes do debate do PDDU, que não sei se vamos dar conta este ano. A Louos é um detalhamento do plano, então não dá para fazer duas discussões ao mesmo tempo”, ressaltou.
Ainda não se sabe se o prefeito ACM Neto (DEM) irá pessoalmente à sede do Legislativo Municipal levar a proposta da Louos, como fez em novembro do ano passado, quando entregou a minuta do novo PDDU. 
tribuna
Tecnologia do Blogger.