Ad Home

Delator diz que desvios na Petrobras bancaram PT da Bahia, afirma jornal

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou à Polícia Federal que o novo ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, teve campanha eleitoral ao governo da Bahia beneficiada pelo esquema de desvios na estatal.
O delator da Operação Lava-Jato afirmou, segundo publicou ontem o Correio Braziliense, que as eleições para o governo e para as prefeituras da Bahia foram abastecidas com “a remessa de recursos da companhia fim de financiar o PT.
Ele não menciona o ano das campanhas — o ministro venceu as disputas de 2006 e 2010. O delator sustenta que os recursos foram viabilizados pela Gerência Executiva de Comunicação, subordinada ao então presidente da estatal José Sérgio Gabrielli, ex-secretário de Planejamento do governo de Wagner.
Costa disse que sua convicção está baseada em “boatos internos” da petroleira, mas falou que uma auditoria poderia confirmar a acusação. O depoimento foi dado em 22 de julho. A assessoria do ministro desqualificou as acusações: “Trata-se de tentativa requentada de envolver o ministro Jaques Wagner na questão. Tais tentativas foram sempre baseadas em ilações ou depoimentos que não apresentam qualquer evidência ou conexão com a realidade”.
Até o momento, Wagner é apenas citado e não foi arrolado como investigado pela operação. Procurada, a Petrobras não esclareceu se fez auditorias na Gerência Executiva de Comunicação. Já Gabrielli não retornou os pedidos de esclarecimentos .
Correio
Tecnologia do Blogger.