Ad Home

Candidata ao governo, Lídice da Mata defende revolução na educação


Dando prosseguimento à série de entrevistas que o apresentador Casemiro Neto tem feito com candidatos ao governo no programa Que Venha o Povo, Lídice da Mata, candidata ao cargo pelo PSB, foi a convidada de hoje (5) da atração. 
 
No início da entrevista, Lídice ressaltou a importância da experiência política e administrativa para que um candidato possa assumir com propriedade o Palácio de Ondina. Afirmando possuir os requisitos necessários, a candidata ainda destacou a necessidade do amor pela Bahia e pelo povo baiano. 
 
"Nós queremos trazer algo de novo para o governo do estado. Um dos candidatos já foi governador por duas vezes e não tem apresentado propostas novas, também não vejo o PT com um projeto que inove, que acrescente valor. E nós queremos acrescentar valor. A nossa candidatura não aponta falhas. Nós analisamos o projeto da atual gestão, vemos os pontos que não funcionaram e trazemos novas propostas. O objetivo principal da nossa campanha é fazer uma revolução na educação, porque a única forma que temos para acreditar em um futuro melhor é através de investimentos na educação", disse a candidata. 
 
Segurança pública
Em relação à atual situação da violência no estado, quando questionada por Casemiro Neto, Lídice disse acreditar que o problema é nacional e, por este motivo, precisa ser discutido também no âmbito nacional. Para ela, para que a situação melhore, é necessário que aconteça um amplo debate porque "a situação da segurança está grave na maioria dos estados do Brasil". 
 
Para Lídice, é necessário que seja criado um novo modelo para as polícias através de uma discussão que envolva diferentes representações estaduais e nacionais. "As ações das Polícias Civil e Militar são muito independentes, elas são muito divididas e não trabalham unidas por um único objetivo. É necessário, inicialmente, que a PM pare de ser agente da violência. Em um segundo momento, precisamos também discutir a questão da desmilitarização da Polícia Militar". 

Avaliação do governo Jaques Wagner
Casemiro também pediu a Lídice que fizesse uma avaliação do governo Jaques Wagner. A candidata disse que não atacaria a atual gestão e que manteria em seu projeto de governo experiências que funcionaram bem durante a administração do PT. 
 
Lídice ainda destacou pontos positivos do governo Wagner. "A entrada do PT no governo estadual representou o fim do período conservacionista e da perseguição política na Bahia. Representou também o fim da busca pelo desenvolvimento sem inclusão social. Eu posso, inclusive, dizer que participei desse processo de luta contra um grupo político que monopolizava todos os setores da sociedade. Nesse aspecto acredito que o governo de Wagner foi bem sucedido, nessa democratização do poder. Agora não basta isso. A revolução que é necessária na educação, por exemplo, não foi priorizada nessa gestão. Eu acreditei no projeto deles e participei ativamente até pouco tempo. Mas agora é hora de se perceber que o PT não pode realizar isso sozinho", concluiu a candidata. 
 
Lídice ainda comentou um contato telefônico que teria recebeido do atual candidato ao senado pelo PMDB, Geddel Vieira Lima. Ela informou que Geddel fez a ligação para averiguar a possibilidade de se candidatar como vice-candidato ao governo em sua chapa, ao que teria respondido informando que o partido já havia consolidado uma nova parceria, até o momento não divulgada.  
 
Para finalizar a entrevista, Lídice destacou que sua candidatura pode realizar uma verdadeira revolução na qualidade de vida dos baianos, já que seu grupo não está estruturado na máquina da base do atual governo. Ela disse querer atender a um anseio de sua geração, que hoje estaria frustrada por não ver na prática as conquistas sociais sonhadas há tantas gerações.
Aratuonline
Tecnologia do Blogger.