Ad Home

Expectativa é de que Copa do Mundo gere pelo menos 700 mil empregos

Além disso, a arrecadação de tributos com a Copa 2014 deverá superar isenções oferecidas à Fifa em 33 vezes e os investimentos federais em cerca de 30%


Com a proximidade da Copa, a expectativa é de que o número de pessoas empregadas cresça. Segundo informações do Mapa das Oportunidades para 2014 - estudo do Ministério do Esporte -  700 mil empregos diretos e indiretos estão sendo gerados desde 2010 até o final deste ano.
Além disso, a arrecadação de tributos com a Copa 2014 deverá superar isenções oferecidas à Fifa em 33 vezes e os investimentos federais em cerca de 30%. Para micro e pequenas empresas nas 12 cidades-sede em todas as regiões do Brasil, a Copa do Mundo deve gerar 930 oportunidades de negócios.
As áreas de turismo e serviços são as mais requisitadas quando o tema é emprego. Estima-se que mais de um milhão de micro e pequenas empresas terão seus serviços requisitados, abrindo vagas para diferentes cargos, em especial nas áreas de turismo e serviços, entre abril e maio deste ano. Os locais de maior contratação serão as agências de turismo, companhias aéreas, call centers, locadoras de veículos, fabricantes de brindes, hotéis e restaurantes.
5 eixos
De acordo José Élio de Souza, gestor do projeto Sebrae 2014, Bahia, o Serviço Brasileiro de Apoio a Micros e Pequenas empresas trabalha com cinco eixos que são: indústria, comércio, construção civil, moda e acessório e turismo. “Cerca de 600 empresas dentro destes eixos podem gerar um ou dois empregos no período de 12/07 à 13/07, o que significa mais de mil pessoas empregadas durante a Copa”, disse o gestor, ressaltando que a área de atendimento é uma das mais requisitadas.
“Sem dúvida, essa é a maior, contudo, temos a área de construção civil com instalações e manutenções, moda com comercialização, turismo com mostra de pacotes turísticos e agronegócios com apresentação de produtos”, explicou.
Os profissionais mais procurados pelos empregadores devem ser recepcionistas, garçons, camareiras, atendentes, motoristas, guias turísticos e cozinheiras. Um estudo realizado pela Ernst&Young, estimava que, entre 2010 e 2014, a Copa iria gerar 3,6 milhões de empregos. Destas vagas, a maioria seria destinada a operários envolvidos na construção de hotéis, estádios e outras obras de infraestrutura em curso desde 2010. Contudo, um segundo levantamento mostrou que, áreas como turismo e serviços também abrirão posições.
Ainda segundo o Mapa das Oportunidades, a produção associada ao turismo é apontada como a área que mais apresentará geração de emprego com 1.320 vagas. Em seguida vem tecnologia da informação com 1.290 e turismo com 1.275.
Além disso, foi apontado que o custo da Copa 2014 será de R$ 22,46 bilhões. Deste valor, 60% será da iniciativa privada e 40% do setor público.
Tecnologia do Blogger.