Ad Home

Agerba já formulou plano B para o ferry-boat

De janeiro a julho deste ano, a TWB recebeu 414 multas da Agerba, no valor total de R$ 2,2 milhões, a maioria por atraso e não cumprimento de horário.
Mesmo que as atividades da TWB sejam suspensas, o governo assegura que a travessia Salvador-Ilha de Itaparica não será interrompida. A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações  (Agerba) informou na sexta-feira (10) que já tem um plano para que os usuários não fiquem sem o serviço.

“A população não será prejudicada. O sistema de travessia funcionará normalmente. Temos um plano B, mas não posso dar mais detalhes”, disse Eduardo Harold Mesquita Pessôa, diretor-executivo da Agerba. Na quinta-feira (9), a Secretaria de Infraestrutura do Estado da Bahia (Seinfra) informou que abriu um processo administrativo contra a TWB, empresa que administra o sistema ferry-boat, com objetivo de declarar a caducidade do contrato de concessão.


A caducidade ocorre quando um contrato perde validade por algum motivo - no caso, segundo o governo, por conta do descumprimento de exigências contratuais por parte da TWB. Recentemente, a TWB não assinou o termo aditivo contratual e, após diagnóstico, realizado a cada cinco anos, foi constatado o não cumprimento de condições mínimas do contrato.

De janeiro a julho deste ano, a empresa recebeu 414 multas da Agerba, no valor total de R$ 2,2 milhões, a maioria por atraso e não cumprimento de horário. A TWB tem 15 dias, a partir de 7 de agosto, para apresentar defesa.

Em nota, a concessionária informou que as regras no aditivo contratual foram analisadas pelo departamento técnico da empresa, que diverge de alguns itens, mas que “seguirá trabalhando para cumprir a determinação imposta pelo poder público, dentro do prazo estabelecido”.



Fonte: Ibahia
Tecnologia do Blogger.