Ad Home

Trânsito na Ladeira da Montanha continua interditado nesta terça-feira

Incêndio em um dos casarões motivou o fechamento dos acessos à via.
Não há previsão de reabertura, segundo a Transalvador.
Ladeira da Montanha (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Ainda há fumaça no imóvel na manhã desta terça
O acesso à Ladeira da Montanha, em Salvador, permanece interditado na manhã desta terça-feira (20). Este é o segundo dia consecutivo de proibição do fluxo de veículos na principal ligação entre a Cidade Alta e a Cidade Baixa. Um incêndio em um dos casarões, já em ruínas, motivou a interdição por medida de segurança e para permitir a atuação do Corpo de Bombeiros. Não há previsão de liberação do fluxo de veículos, informa a Transalvador. Ainda há muita fumaça saindo do casarão na manhã desta terça-feira.

O fogo foi controlado ainda na manhã de segunda-feira (19), mas as equipes precisaram dar continuidade ao trabalho de resfriamento. Os bombeiros não puderam entrar no imóvel por risco de desabamento.


Após o incêndio, a Defesa Civil de Salvador solicitou a interdição da Ladeira da Montanha. A Transalvador foi acionada e providenciou o fechamento dos acessos. Os motoristas podem optar por caminhos alternativos indicados pela Transalvador, como os trechos compreendidos entre o túnel Américo Simas, Dique do Tororó e Politeama; Avenida Contorno, Largo 2 de Julho e Rua Carlos Gomes; além da Avenida Contorno, Rua Banco dos Ingleses e Campo Grande.

A assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros informa que a causa do incêndio não foi identificada. A apuração foi dificultada porque não havia morador para relatar possíveis causas, já que o imóvel está abandonado. Além disso, não foi localizado nenhum objeto que pudesse ter provocado o fogo.


A edificação é monitorada pela Companhia de Desenvolvimento Urbano de estado da Bahia (Conder) e no local funcionava o abrigo da Mãe Preta. Após a constatação de risco iminente de desmoronamento, as oito famílias que moravam no casarão desocuparam o local no dia 30 de janeiro deste ano e foram remanejadas para outros imóveis. Sete delas recebem atualmente uma bolsa-aluguel no valor de R$ 450 e serão posteriormente encaminhadas para unidades do Minha Casa, Minha Vida. Uma dessas famílias já foi beneficiada com uma unidade habitacional, relata o órgão estadual.





Fonte: TVBahia
Tecnologia do Blogger.