Ad Home

Jovem fica ferida após 'ovada' e pais levam caso para a polícia na Bahia

Ato seria uma 'comemoração' dos colegas pelo aniversário da adolescente. 
Pais da menina levaram o caso à polícia sob a alegação de bullying.
Conceição do Coité, Bahia (Foto: Divulgação/ Prefeitura)
Caso aconteceu em Conceição do Coité, a cerca de200 Km de Salvador


Em Conceição do Coité, a cerca de 200 km de Salvador, uma estudante de 13 anos ficou ferida após ser atingida por ovos em uma espécie de comemoração popularmente conhecida como “ovada”, e por ter sido pisoteada, no dia do seu aniversário.


De acordo com a delegacia da cidade, a jovem acabara de sair da escola quando outros estudantes a seguiram para a suposta comemoração. Enquanto tentava correr para evitar os colegas, a menina caiu no chão e foi pisoteada por alguns estudantes.


“A menina chegou à delegacia com ferimentos leves, provavelmente porque os colegas jogaram os ovos de longe, e foi orientada a ir a um hospital realizar o exame de corpo de delito para dar continuidade às investigações caso os responsáveis julguem necessário”, explicou o titular da cidade.


Os pais da menina levaram o caso à polícia sob a alegação de que ela teria sofrido bullying [termo inglês usado para definir agressões de crianças por outras crianças] e de que a diretoria deveria ser responsabilizada pelo caso. Procurada, a vice-diretora da escola Almir Passos, Izaulina Rios, contou que esse tipo de atitude vem sendo combatida pelos professores e que o caso está sendo investigado pela escola.


“Nós não acreditamos que esse tipo de manifestação possa ser chamada de comemoração. Não é de hoje que combatemos essa prática, que acontece sempre do lado externo do colégio. Já fizemos palestras, reuniões e as mais variadas medidas educativas para prevenir esse tipo de atitude que, infelizmente, é uma prática comum entre os jovens da cidade. 
Nesse caso da aluna da sétima série, nós temos a informação de que ela é uma das crianças que participa desse tipo de ato com outros alunos”, sinaliza Izaulina.


A diretoria da escola informou que tanto os alunos envolvidos, quantos os pais, serão procurados pelo colégio para debaterem o assunto. Além disso, a escola prometeu reforçar as campanhas que já vêm sendo realizadas para prevenir esse tipo de fato.


Bullying


Segundo a psicopedagoga Simone Cortês, o fato ocorrido em Conceição do Coité não pode ser definido como bullying. “O bullying se configura pela repetição dos atos de ofensas ou agressões a uma mesma criança. Nesse caso de Conceição do Coité, por ter sido uma situação isolada, de crianças que têm a prática de realizar esse tipo de comemoração entre si, não se define o bullying”, pontua. A psicopedagoga acrescenta ainda que, independente do fenômeno, os pais de crianças que praticam qualquer tipo de agressão a outras crianças podem ser responsabilizados pela atitude dos seus filhos.


Responsabilidades


De acordo com Carlos Antônio de Ramos, assessor jurídico do Juizado de Menores de Salvador, os pais das crianças que atacaram a estudante podem responder na Justiça. “Primeiro deverá ser aberto um inquérito na delegacia, para serem realizados os exames de corpo de delito. Em seguida, o Ministério Público da cidade deverá ser acionado para abrir o processo contra os pais das crianças que praticaram o ato. Em relação à pena, os pais, se responsabilizados, podem pagar multas ou ter suas punições convertidas em serviços comunit ários”, explica Ramos.




Fonte:  G1

Tecnologia do Blogger.