Ad Home

Aleluia: “Wagner não trabalha, nem quer que César trabalhe”

 Declaração foi feita pelo presidente do DEM, José Carlos Aleluia, ao comentar suposto veto de Wagner a César Borges, no Ministério dos Transportes.


Atualmente sem nenhuma representação genuína na Esplanada dos Ministérios, a Bahia só não tem um ministro competente e com relevantes serviços prestados ao Estado, porque o governador Jaques Wagner não quis. E, por isso mesmo, Wagner não pode se queixar da crescente perda de representatividade do Estado no primeiro escalão da Presidente Dilma Rousseff. Quem pensa assim é o presidente do DEM na Bahia, ex-deputado federal José Carlos Aleluia.


"O governador Jaques Wagner não emplaca nenhum baiano no primeiro escalão do governo federal, mas veta para o Ministério dos Transportes o nome de César Borges, ex-governador e senador com inestimáveis serviços prestados a Bahia", apontou Aleluia, ao tomar conhecimento do veto pela imprensa. O suposto veto de Wagner contra seu adversário político na Bahia foi noticiado em O Globo, pelo jornalista Gerson Camarotti.


Para o líder oposicionista Wagner só é ouvida quando se trata de prejudicar a Bahia. "A relação do governador Jaques Wagner com a presidente Dilma é bastante curiosa. Ele não tem influência para indicar ninguém, mas para vetar ele é ouvido". Aleluia chama o governador petista de preguiçoso:"Ele não trabalha nem quer que ninguém trabalhe pela Bahia".


O dirigente do DEM disse ainda que, ao contrário de Wagner, César Borges tem uma história de trabalho e atraiu grandes investimentos para a Bahia."Foi no governo César Borges que a Ford veio para a Bahia, embora, no Congresso Nacional, o então deputado Jaques Wagner tenha votado contra a instalação da montadora em nosso Estado,", lembrou o líder democrata.


Caso tenha mesmo vetado o nome do ex-governador, Jaques Wagner inverte a máxima de Jesus Cristo, para "Não dê a César o que não é de César".




Fonte: NoticiasdaBahia
Tecnologia do Blogger.