Ad Home

TVs brasileiras só serão interativas em 2013


 Governo federal decide adiar a incorporação do Ginga nos aparelhos fabricados na Zona Franca de Manaus

O governo federal cedeu aos apelos dos fabricantes de televisores digitais e decidiu adiar para 2013 a obrigatoriedade de incluir o software Ginga nos aparelhos produzidos no país.

A partir do ano que vem, 75% dos aparelhos de televisão produzidos na Zona Franca de Manaus deverão vir equipados com o software, que garante a interatividade no sistema de TV digital adotado no Brasil.

O percentual deverá ser ainda maior a partir de 2014, ano da Copa do Mundo. Depois de 1º de janeiro de 2014, 90% dos aparelhos deverão vir com o Ginga.

A proposta inicial do governo era incluir o Ginga no PPB (Processo Produtivo Básico) para pelo menos 75% de todos os televisores com tela de cristal líquido a partir deste ano, mas a indústria reivindicou mais prazo para a conclusão dos testes. Os fabricantes queriam que em 2013 o percentual de televisores com o software fosse de 50% e em 2014, 95%.

De acordo com a portaria elaborada pelos ministérios do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e da Ciência, Tecnologia e Inovação, os fabricantes que optarem pela produção de aparelhos interativos ainda em 2012 serão beneficiados com a redução do percentual obrigatório para o próximo ano. A portaria também define que modelos de TV do tipo conectada (com acesso à internet) deverão vir obrigatoriamente com o Ginga.

A razão para essa medida, no entendimento do governo, é de que não há necessidade de as empresas adicionarem nenhum componente ao televisor.

O Ginga é um middleware (camada de software intermediário) que possibilita, por exemplo, que o telespectador consulte informações sobre a programação, faça compras e acesse dados bancários pela televisão. É totalmente desenvolvido em código livre e, portanto, qualquer empresa pode criar sua própria implementação.
Do Metro
Tecnologia do Blogger.